GIRO DE NOTICIAS

CIDADES

Featured Post (Slider)

POLITICA

Java

.:::.BLOG DO PROFESSOR JOSA.:::.

Test Footer 2

ENTRETENIMENTO

Movie Category 3

Movie Category 5

Publicidade


Sub menu section

Publicidade

POLICIAL

POLITICA

GALERIA DE FOTOS

PARAIBA

sexta-feira, 25 de julho de 2014

Após ser tachado de “lambe botas de RC”, Célio Alves decide acionar jornalista por injúria

Após ser tachado de “lambe botas de RC”, Célio Alves decide acionar jornalista por injúria
Após ser tachado de “lambe botas de RC”, coordenador da campanha decide acionar jornalista por crime de injúria

Ex-secretário adjunto de Comunicação Social do Governo da Paraíba e atual coordenador da campanha de campanha da coligação a Força do Trabalho, encabeçada pelo governador Ricardo Coutinho (PSB), o jornalista Célio Alves decidiu acionar o jornalista Nilvan Ferreira na justiça pelo crime de injúria.

Nilvan, que é ancora do programa Rádio Verdade, do Sistema Arapuan tachou, ao vivo, o jornalista Célio Alves de “lambe botas do governador” durante a veiculação do programa na tarde de ontem, quinta-feira (24).

Na ocasião Célio, juntamente com o corpo jurídico da campanha do governador, realizava uma entrevista coletiva para revelar a existência de uma gravação entre o jornalista Sales Dantas (que se passou pelo chefe de gabinete de Cássio) e o prefeito de Caiçara, em que negociavam valores financeiros em troca do apoio político.

“Durante a coletiva, o jornalista Nilvan Ferreira, por quem tenho profunda estima, fez alguns questionamentos, mas em momento nenhum, embora ele tenha interpretado assim, de minha parte, em momento algum houve qualquer ofensa no sentido de desqualificá-lo como profissional, ele fez perguntas que quis, e eu afirmo, buscando minimizar o fato e eu apenas respondi a altura”, explicou.

Célio lembrou que assim como Nilvan, também é um comunicador e do mesmo jeito que tem o direito de perguntar o que bem entender, também tem que está preparado para escutar a resposta, seja ela qual for.

“Em nenhum momento acusei Nilvan de ser advogado de Cássio, cheguei a afirmar, muito pelo contrário, que ele não era, e que nós estávamos a perceber a argumentação dele, se ele buscou outra interpretação foi por conta dele própria, não posso controlar a interpretação de ninguém, mas posso dizer que em face do que disse o jornalista Nilvan Ferrira, me acusando de uma série de coisas, já acionei os advogados, vou processá-lo pelo crime de injúria porque não entendo ser compatível também para o profissional de imprensa, durante ma entrevista coletiva, chamar alguém que esta ali representando uma coligação partidária, para fazer uma denúncia grave, de lambe botas do governador, eu não me refiro a ninguém desta maneira, procuro respeitar as pessoas, não vou aceitar que esse tipo de coisa aconteça”, avisou.

Para Célio, a ofensa proferida por Nilvan Ferreira se referia ao cargo de coordenador de campanha e não a ele, como pessoa física.

“Tenho certeza que a ofensa não partiu para mim, pessoa física, mas para o coordenador da campanha, porque a gente percebe as predileções que tem sido feita na Paraíba, não por todos, mas por uma parte da imprensa”, finalizou.

As declarações de Célio foram veiculadas no programa Correio Debate, da 98 FM, após um pedido de resposta do jornalista, já que os ancoras do radiofônico haviam lamentando o posicionamento do coordenador da campanha de Ricardo e prestado solidariedade ao colega do Sistema Arapuan.


Márcia Dias

PB Agora

Papa Francisco escolhe batata frita no ‘bandejão’ e almoça com funcionários do Vaticano

papa-comendo
Francisco vai com sua bandeja até mesa de lanchonete do Vaticano, onde almoçou com funcionários da Igreja Católica nesta sexta-feira (25) (Foto: Reprodução/Twitter/Gianluca Barile)
O Papa Francisco se juntou aos funcionários do Vaticano para almoçar nesta sexta-feira (25) em uma lanchonete da sede da Igreja Católica.

O Papa foi visto escolhendo sua comida com uma bandeja – em uma das fotos, é possível ver que ele escolheu batatas fritas. O pontífice se sentou com alguns padres em uma mesa comunitária.
Segundo o vaticanista Gianluca Barile, que estava no local, o Papa escolheu batatas fritas, peixe, pão integral e água.
Papa Francisco conversa com trabalhadores do Vaticano em almoço em lanchonete nesta sexta-feira (25) (Foto: Osservatore Romano/Reuters)Papa Francisco conversa com trabalhadores do Vaticano em almoço em lanchonete nesta sexta-feira (25) (Foto: Osservatore Romano/Reuters)
G1

Prostituta diz ter esquartejado corpo de motorista com faca da vítima; deixou partes do corpo por SP

A prostituta Marlene Gomes, de 56 anos, admitiu durante reconstituição realizada pela Polícia Civil que matou e esquartejou o motorista de ônibus Álvaro Pedroso. Ela disse que tinha um caso com a vítima e que o crime não foi premeditado, mas admitiu ter usado uma "faquinha" do próprio motorista para cortar os membros. Ao lado de Marlene Gomes, outras duas mulheres foram formalmente denunciadas pelo crime. Elas também participaram da reconstituição.
Durante a "reprodução simulada do crime", Marlene Gomes afirmou que o crime não foi premeditado. Após uma briga, ela teria empurrado o amante, que caiu e "morreu". Em seguida, ela teria utilizado "a faquinha dele" para esquartejar Pedroso. "Eu cortei, cortei, cortei", disse Marlene na reconstituição.
O Ministério Público (MP) de São Paulo denunciou à Justiça, na quarta-feira (23), as três mulheres presas acusadas de matar e esquartejar o motorista.
De acordo com a denúncia feita pelo promotor Tomás Busnardo Ramadan, além de Marlene Gomes, a 'Mole', de 56 anos, foram indiciadas as prostitutas Francisca Aurilene Correia da Silva, a 'Thais', 34; e Márcia Maria de Oliveira, 'Sheila', 32. Elas foram acusadas de homicídio triplamente qualificado por motivo torpe, meio cruel e recurso que dificultou a defesa da vítima.
Segundo a acusação, Marlene era amante de Álvaro, que era casado e pai de dois filhos. Ela decidiu matá-lo porque o motorista queria romper o relacionamento e não dar mais dinheiro. Para isso, combinou o crime com as outras duas prostitutas.

Na opinião de Ramadan, o crime foi premeditado e o trio agiu "com vontade de matar". "A revelar a clara premeditação do assassinato", escreveu o promotor na denúncia.
A acusação ainda pediu a conversão da prisão temporária delas em preventiva para que fiquem presas até um eventual julgamento. Até a publicação desta matéria a Justiça não havia decidido sobre a solicitação. O G1 não localizou os advogados das detidas para comentar o assunto.
Corpo espalhado
Segundo o MP, a investigação da Polícia Civil concluiu que as três mulheres participaram do assassinato e esquartejamento de Álvaro. Ele foi morto após desaparecer no dia 22 de março, quando se encontrou com Marlene.

Partes de seu corpo foram espalhadas no entorno do Cemitério da Consolação, em Higienópolis, bairro nobre da capital. Quatro dias depois, sua cabeça foi encontrada na Praça da Sé. Os dois locais ficam na região central.

O Departamento de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHPP), que investigou o caso, analisou câmeras de segurança que mostraram as três suspeitas passando pela área onde os pedaços do motorista foram achados. Depois, as prendeu entre os dias 27 e 28 de junho.

De acordo com a investigação, as detidas se prostituíam e se drogavam. Marlene era amante da vítima e confessou ser sido a mandante do crime por vingança. Ela alegou que não suportava mais ser ameaçada por Álvaro, que a torturava física e sexualmente, sugerindo sexo grupal com as outras denunciadas.
Cabeça é achada dentro de saco na Praça da Sé, em São Paulo, nesta quinta-feira (27). Polícia vai apurar se ela pertence a um corpo achado no domingo (23) (Foto: Adriano Lima/Agência O Dia/Estadão Conteúdo)Cabeça é achada dentro de saco na Praça da Sé (Foto: Adriano Lima/Agência O Dia/Estadão Conteúdo).
O crime
A Promotoria informou que Álvaro foi morto na madrugada do dia 23 de março, quando o motorista manteve relações sexuais com Marlene num apartamento na Rua dos Andradas, no Centro. Lá, a amante o embriagou com cerveja. Alcoolizado, ele foi tomar banho.
Foi quando quando Francisca e Márcia entraram no imóvel e foram ao banheiro juntamente com Marlene golpearam Álvaro com "instrumento contundente" na cabeça, matando-o. Depois, a amante teria usado uma "serra" para esquartejar o corpo e dificultar a identificação dele pela polícia. Também arrancaram as falanges dos dedos.

O trio comprou sacos plásticos e carrinhos de feira para espalhar as partes. Márcia e Francisca os abandonaram em quatro locais. No dia 23 de março, alguns restos mortais foram encontrados em Higienópolis: duas pernas e dois braços (esquina das ruas Sabará com a Sergipe); tronco (Rua Coronel José Eusébio); e duas coxas (Rua da Consolação). No dia 27 de março a cabeça foi achada na Praça da Sé.
Reconstituição do rosto do esquartejado (à esq.) e foto do motorista Álvaro Pedroso (Foto: Reprodução)Reconstituição do rosto do esquartejado (à esq.) e foto do motorista Álvaro Pedroso. (Foto: Reprodução)
Acusadas
As acusadas estariam na carceragem feminina do 89º Distrito Policial, Portal do Morumbi, Zona Sul, à espera de vagas num Centro de Detenção Provisória (CDP).

Além das três mulheres, um homem já havia sido preso pelo DHPP por suspeita de envolvimento no sumiço e morte do motorista. Mas, de acordo com a investigação o morador de rua João Eduardo Jerônimo, 29, preso em 4 de abril, não vai responder pelo crime. Apesar de câmeras gravarem ele empurrando um carrinho onde estavam os membros e o tronco da vítima, ele havia encontrado o objeto e não sabia o que tinha dentro. O G1 não conseguiu confirmar se ele continuava detido.
O DHPP divulgou um retrato digital da reconstituição do rosto da vítima a partir de análise do crânio achado. A identificação do corpo de Álvaro só foi possível por meio de exame de DNA. Familiares cederam material genético para comparar com o cadáver encontrado. O corpo acabou enterrado no dia 23 de abril, num cemitério da capital paulista.


G1

Dunga é cobrado em 907 mil reais por não pagar impostos

O novo técnico da seleção brasileira, Dunga, foi cobrado em pelo menos 907.000 reais pela Receita Federal, segundo informa o jornal Folha de S. Paulo desta sexta-feira. Dunga é acusado de não ter pagado impostos sobre uma movimentação financeira realizada no exterior, em 2002.

O treinador já perdeu a ação na instância interna da Receita Federal e também teve seu recurso negado no Carf (Conselho Administrativo de Recursos Fiscais) do Ministério da Fazenda. Ainda de acordo com a publicação, Dunga recorreu à segunda instância e pode levar o caso à Justiça. Ao mesmo veículo, o técnico da seleção negou todas as acusações e disse que vai processar a Folha por quebra de sigilo bancário e fiscal.

Em 2002, Dunga recebeu 270.000 dólares não declarados do Jubilo Iwata, clube do Japão pelo qual atuou entre 1995 e 1998. Segundo o atual treinador da seleção, o valor correspondia à devolução de um empréstimo feito por ele ao clube, em 1998, referente a direitos de imagem. Dunga diz não ter pagado impostos sobre essa quantia, recebida em dinheiro, pois, segundo ele, não houve "acréscimo patrimonial", já que o valor era o mesmo que ele havia emprestado.

O valor cobrado pela Receita inclui 325.000 reais em imposto de renda supostamente não pago, mais duas multas e juros. O valor de 907.000 reais corresponde a abril de 2007 e, corrigido para a inflação acumulada atual, passaria de 1,3 milhão de reais.


Veja 

Edir Macedo cobra R$ 45 por ingresso para entrar em templo da Universal

Templo de Salomão é quatro vezes maior que o Santuário Nacional de Aparecida
 Após quatro anos de obras que custaram R$ 680 milhões, o Templo de Salomão, construído no bairro do Brás, região central de São Paulo, pela Igreja Universal do Reino de Deus, vai ser inaugurado no dia 31 somente para convidados e autoridades. O espaço de 100 mil metros quadrados também não tem data para ser aberto aos fiéis - quem quiser assistir aos cultos terá de pagar a passagem para a empresa de fretamento contratada pela Universal, ao valor de R$ 45 por pessoa, para quem mora na capital.


A cúpula da igreja promoveu uma entrevista coletiva em Santo Amaro, na zona sul, para explicar detalhes sobre o templo, o maior espaço religioso do País, quatro vezes maior do que o Santuário Nacional de Aparecida. O local acomodará um público de 10 mil pessoas, sentadas. O ambiente é suntuoso, com mármore rosa italiano, 10 mil lâmpadas de LED e oliveiras importadas de Israel.


Autoridades

Para a inauguração do dia 31, autoridades como a presidente Dilma Rousseff, o seu antecessor, Luiz Inácio Lula da Silva, o governador Geraldo Alckmin e o prefeito Fernando Haddad são aguardadas para o evento. “Teremos centenas de autoridades. Não temos um balanço dos nomes, mas a Dilma já se antecipou e declarou publicamente que estará presente”, disse Renato Parente, jornalista que apresentou os detalhes do templo.

Parente disse que nenhuma pessoa poderá entrar no templo por conta própria. Quem quiser, vai precisar contratar o serviço de fretamento feito por ônibus. Para pessoas de outras cidades e Estados o valor da passagem ainda não foi estimado pela mesma empresa de ônibus, cujo nome não foi revelado. “É um preço que será cobrado pela empresa de fretamento, não é da igreja. Não é um ônibus de linha normal, é turístico”, disse Parente. O templo também vai ter um telão com 20 metros de comprimento (maior do que os telões dos estádios da Copa do Mundo) e 60 apartamentos para pastores convidados, além da residência oficial do pastor Edir Macedo, fundador da Universal.

A igreja também divulgou regras para o uso de roupas. Mulheres devem evitar o uso de minissaias e roupas curtas. Para os homens, está vetado o uso de bermudas e de uniformes de clubes esportivos. Chinelos, camiseta regata, boné e óculos escuros também foram proibidos.


Contrapartidas

A autorização para o funcionamento do local foi emitida pela Prefeitura no dia 10, por meio da certidão de diretrizes da CET, documento que atesta que o empreendedor cumpriu as contrapartidas pelo fato de ser um polo gerador de tráfego. Entre as obras que a igreja teve de realizar, estão a instalação de cinco semáforos em cruzamentos da região e o plantio de 25 mudas de árvores. Outra contrapartida foi a exigência do rebaixamento de guias de cinco cruzamentos. O certificado de conclusão de obra ainda deverá ser solicitado.


Estadão

Prefeito de Alagoa Grande anuncia apoio a Cássio

Boda acaba mistério e anuncia apoio a Cássio e Santiago
O prefeito da cidade de Alagoa Grande, Hildon Régis Navarro (PR), conhecido popularmente como Boda, anunciou, na manhã desta sexta-feira (25), apoio a candidatura do senador Cássio Cunha Lima (PSDB) para o Governo da Paraíba.

O anúncio aconteceu em uma reunião ocorrida em João Pessoa, que contou com as presenças de Cássio e do deputado estadual Arnaldo Monteiro (PSC).

Boda já havia votou em Cássio nas eleições de 2002 e 2006. O prefeito é filiado ao partido do deputado federal Wellington Roberto, que já anunciou apoio ao tucano.

Ainda durante o encontro, foi definido que o gestor apoiará também Wilson Santiago para o Senado Federal.

Roberto Targino - MaisPB
 
Copyright © 2014 .:::.BLOG DO PROFESSOR JOSA.:::.Seguro Desenvolvido Por Netinho Soluções Web.